Escolha uma Página

Os princípios da gestão não nos remetem a técnicas, pensadores ou povos específicos e sim, a como utilizar, de maneira cada vez melhor, os recursos disponíveis de forma a gerar cada vez mais excedentes úteis.

A humanidade, como hoje conhecemos, somente se estabeleceu em lugares específicos, criando comunidades, quando conseguiu as condições necessárias para tal. Para isto precisou domesticar plantas e animais. O trigo selvagem foi transformado em trigo doméstico, o cão em defensor, o gado em provedor de carne, leite, peles, lã, ossos, etc.

Mas foi somente a partir da produção de excedentes que surgiu o comércio e as especializações. Nesse sentido, quem produzia mais e melhor prosperava mais. Quanto mais a tecnologia avançava, menos esforço operacional era necessário para produzir e mais excedente era gerado.

Como foi que, sem as atuais técnicas de gestão, civilizações como o Egito Antigo, os Hititas, os Assírios, os Fenícios e tantos outros prosperaram? A resposta não é complexa. Prosperaram porque sempre tiveram produção e comercialização controlada dos excedentes, controles rígidos dos custos, especializações na produção e estratégias, mesmo que rudimentares, que buscavam capturar oportunidades que surgissem, neutralizar as ameaças, sustentar posições já conquistadas e enfrentar crises (O Trigo a Água e o Sangue – As Raízes Estratégicas do Ocidente. Luiz Fernando da Silva Pinto).

Por qual motivo, na atualidade, tantas ferramentas e técnicas de gestão são necessárias? A resposta também é simples. Porque existem infinitas vezes mais variáveis envolvidas na produção e comercialização dos bens. Variáveis como regulamentação ambiental, fiscal e de transporte, leis para proteger patrões e empregados, maior número de fornecedores de matéria prima, diversidade de compradores, pirataria, insegurança jurídica, etc.

É possível simplificar a gestão como no princípio dos tempos? Não.

Qual a maneira de fazer gestão mais simplificada para os gestores da atualidade? Foi pensando nisso e na garantia de sustentabilidade econômica para os produtores rurais que desenvolvemos o Sistema de Gestão Integrada do Agronegócio – SGI AGRO. Este sistema possui, na mesma base de dados, um modelo simples para o pequeno produtor e ao mesmo tempo, completo para o grande. O SGI AGRO leva em consideração informações do dia a dia, controles simples de utilização dos recursos, informações patrimoniais, informações comerciais e proporciona ao produtor uma visão de 360° sobre o seu negócio.

Quais os pilares, princípios ou fundamentos da gestão? Considerando um conceito resumido de gestão em que: “gestão é a utilização conjunta de diversas ferramentas com o objetivo de otimizar os resultados de um determinado negócio”; temos como pilares da gestão: planejamento, organização, direção e controle (Idalberto Chiavenato – Teoria Geral da Administração – Abordagens Prescritivas e Normativas).

Como fazer gestão? Gerir é conseguir otimizar a utilização dos recursos disponíveis de modo a gerar excedentes úteis. Para isso, é preciso coletar, agrupar e trabalhar as informações do negócio de forma integrada para gerar conhecimento suficiente para a melhor tomada de decisão e a sustentabilidade econômica do negócio.

Exemplificando: a mistura de informações de produção, como a quantidade de adubo utilizada em cada hectare, com informações econômicas, como o retorno sobre os investimentos, propicia o entendimento da melhor forma de produzir com cada tipo de estrutura ou em cada modelo de negócio. É possível identificar a viabilidade de um determinado negócio, como por exemplo, o arrendamento, e compará-la com o modelo de cultivo em terra própria. Ao fim, podemos encontrar a quantidade a ser produzida em cada hectare para se gerar determinado lucro. Identifica-se quanto a mais se deve produzir para gerar excedente financeiro para a sua aposentadoria, para comprar determinado bem, ou para pagar os estudos dos filhos. Tudo isso é possível utilizando-se de poucas informações e de pouco tempo dedicado para a coleta destas informações.

Entretanto, não existe milagre. Não existe um software ou modelo de gestão que faça pelo produtor as suas obrigações. Um mínimo e justo esforço é fundamental para que se tenha acesso a todas estas informações sobre a gestão dos negócios.Nesse sentido, é preciso implantar os controles de campos necessários, preencher os formulários e cuidar para que as informações corretas sempre sejam lançadas no sistema. É necessário, sim, ter disciplina e dedicação.

Atendendo aos pilares da gestão, o produtor precisa estar atento à necessidade de dedicar atenção especial a certas informações vitais à sustentabilidade econômica de seu negócio. Ter disciplina significa coletar sempre os dados necessários, ou seja, jamais deixar para “amanhã” as anotações e controles, sempre observando os requisitos do SGI AGRO. Ter dedicação significa empenhar esforço para cuidar bem de suas informações. Via de regra, a vida de seu negócio efetivamente depende destas informações.

Portanto, para realizar, na atualidade, o que antigamente se convinha chamar de gestão, um conjunto mínimo de informações trabalhadas de forma integrada, precisa ser tratado como condição indispensável ao sucesso. Adicionalmente é preciso trabalho consciente e dedicado com um objetivo bem delineado. O Sistema de Gestão Integrada do Agronegócio – SGI AGRO é a ferramenta certa no momento certo para ajudar a proporcionar o sucesso do produtor rural.